quarta-feira, 31 de maio de 2017

Cidade em Movimento: Mocajuba recebe a seletiva dos JEPS.

Pois é, amigos.





Foto:Maria Gabriela (Igarapé-Açu)

Diante de tanta notícia ruim para os jovens de Mocajuba, a seletiva cai-nos como um bálsamo. Ocorre daqui a pouco, a abertura dos Jogos Estudantis Paraenses (Jeps), no Ginásio Poliesportivo Irmã Vieira - a "quadra".



O centro da cidade está em movimento – o evento ocorre ás 08h00min horas e traz grande traz esperanças. Além de Mocajuba, Moju Breves, Maracanã, Santa Izabel, Igarapé-Açu e Marabá recebem as regionais.  





Foto: Neto Wanzeler
ReproduçãoFacebook
atualização


São aproximadamente 26 mil alunos e alunas de 138 escolas do estado do Pará que participam da 59ª edição dos Jogos Estudantis Paraenses 2017 (Jeps). O evento organiza-se em modalidades coletivas: Vôlei, Futsal, Handebol e Basquete Masculino e Feminino, e nas modalidades individuais - Tênis de Mesa e Xadrez, na categoria A, de 12 a 14 anos, e B, de 15 a 17 anos.



Os JEPS são realizados pela da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), há 59 anos, mais especificamente pela Coordenadoria de Esporte e Lazer (NEL) em parceria com entidades educacionais e desportivas e as prefeituras municipais.  




O vereador Marcos Lopes, professor de Educação Física no município, tem participação direta nos jogos há muitos anos e entusiasta da dinâmica do papel do esporte na formação dos jovens. Ontem o encontrei todo animado pelas ruas da cidade a “serviço dos JEPS.





Trata-se de um momento importante no desenvolvimento e na carreira dos atletas. Os alunos e alunas que se destacarem representarão o estado do Pará no maior evento esportivo estudantil do Brasil - os Jogos Escolares da Juventude, que acontecem anualmente - promovido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em parceria com o Ministério do Esporte e apoio do grupo Globo. 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Pau Darco: Conflito ou chacina?

foto: whatsap
internet

Na guerra, sempre todos perdem.

A escalada de violência no campo do Pará avoluma-se. Dez pessoas são mortas pela polícia militar do Pará, no dia em que o governo federal  reprime violentamente as manifestações em Brasília (DF) autoriza o uso das Forças Armadas para garantia da lei e da ordem (GLO) pelo período de 24 a 31 de maio no Distrito Federal.



No Pará, há uma escalada de violência alarmante. Os conflitos no campo recrudescem no contexto em que o latifúndio e sua força para destruir a floresta encontram-se fortalecido diante das instituições federais com rebatimentos nas representações locais que operam a política agrária na Amazônia. 



O episódio ocorreu na Fazenda Santa Lúcia, no município de Pau’ Darco. Essa fazenda é parte de um complexo de fazendas que integra o império do falecido “Norato Barbicha”- grileiro notável da Amazônia com seus milhares de hectares grilados como as Fazendas Cipó, Pantanal, Santa Lúcia e muitas herdadas pela esposa.




A Liga dos Camponeses Pobres informa que A Fazenda Cipó, já esteve tomada pela LCP do Pará e Tocantins, contudo, foi alvo de reintegração. Contudo a disputa continua pela posse. Esclarece que depois de muitas reuniões, fechamentos de BR´s, audiências públicas e etc., comprovou-se que, dos 800 alqueires, somente 200 eram documentados. Os outros 600 alqueires são terras do Estado ocupadas de forma ilegal. Griladas.


Trata-se do segundo maior conflito com mortos do Estado, perdendo apenas para o "Massacre de Eldorado de Carajás", em 17 de abril de 1996, quando 19 trabalhadores sem-terras morreram em confronto com a polícia. Desta vez, não há filmagens, não existem testemunhos audiovisuais - e narrativas diferentes são postas a público.


O conflito não é recente. Aproximadamente 150 famílias estavam acampadas na área desde 18 de maio de 2015 em luta sistemática para provar que aquela terra, tal como outras do Complexo de Norato Barbicha, está apta a reforma agrária. 


No segundo semestre do ano passado reivindicaram formalmente a Fazenda diante do Incra para fins de reforma agrária.


Todos perderam. 

A Fetraf perdeu o comando sobre os militantes que não seguiram a orientação para não uso de armas. Muitos de seus militantes desistiram da justiça e do diálogo - deduz-se da nota publicada pela Federação.  O que os levou a isso? Ontem, divulgou nota anunciando que não mais pautará a fazenda diante da escalada de sangue que a região vivencia. 



Todos perderam. 
O governo não seguiu a orientação de, nestes casos, constantes na Cartilha da Ouvidoria Agrária Nacional e nas diretrizes do Tribunal de Justiça fazer uso de corpo tático especial. Perdeu qualquer possibilidade de defender-se de uso desproporcional de força. A morte nunca deveria ser um caminho. Mas sempre foi por aqui, desde os tempos cabralinos.  Notemos que não há policiais feridos ou mortos. 


Todos perderam. 
Os acampados que abriram mão do diálogo e, com uma postura que beira a infantilidade, resistiram. E morreram. 
Nove homens e uma mulher.
Todos perderam. Nas guerras, não raro, mulheres são poupadas.
Mas Jane, a única mulher dentre os mortos, era líder da Associação de Camponeses da área. 
Todos perderam. Tudo.




A Liga dos Camponeses Pobres assevera que trata-se de crime de Estado com características de revanche por conta do assassinato de um segurança na região, e policiais compõe esse campo da segurança privada como forma complementar de renda. Aliga também alega que os ferimentos não são compatíveis com o a versão de "tiroteio", e sim com um fuzilamento. 

armas apresentadas pela polícia

reprodução-internet



O governo está em busca da melhor forma de explicar o fato à opinião pública e conduz investigação que será acompanhada de perto pela justiça federal também. Alega que os policias estavam em uma ação legal para cumprir mandados de prisão. Contudo, o número de mortos é maior que o número de mandados. De fato, talvez nunca saberemos de fato o que ocorreu, parte das possibilidades de explicação foram eliminadas com a retirada dos corpo dos locais das mortes e transferência para Redenção (PA). É apenas deste ponto em diante que o Instituto Médico Legal fará seu trabalho, mas sabemos perdeu-se parte de sua matéria-prima de análise. 


A sociedade cada vez mais obscurece sua capacidade de entender as estruturas que movem o latifúndio e das mazelas que ele produz: sem terra, sem esperança... mas coragem em demasia porque levantar uma luta armada com dez rifles contra todo o aparelho de Estado, é supor-se com poderes especiais. 


Na guerra todos perdem. Na guerra amazônica pela terra,  perdem sempre mais os agentes subalternizados por cinco séculos de latifúndio e privilegiamento da elite associada ao Estado. 




Notas:

Governo: 






sábado, 20 de maio de 2017

Bate Papo Sobre a Rede Sustentabilidade na Câmara Municipal.


Daqui a pouco estaremos na Câmara Municipal de Belém para ministrar mais um Curso de Filiação da Rede Sustentabilidade para novos filiados e simpatizantes. Apesar de tudo, é preciso mantermos-nos lutando e alimentando a esperança.

Márlon Reis, idealizador da Lei da Ficha Limpa, é entrevistado no Conversa com o Bial.


É Hoje, daqui a pouco. Nosso parceiro, redeiro, o Márlon Reis, idealizador da Lei da Ficha Limpa, é entrevistado no Conversa com o Bial, depois do Jornal da Globo. Junto com Raul Santiago e Ronaldo Lemos falarão sobre política e participação popular nestes tempos tão duros, mas também cheios de possibilidades inovadoras. Apresentarão o revolucionário aplicativo Mudamos+, que permite a assinatura eletrônica de projetos de lei de iniciativa popular. Para ajudar a atualizar a política.

sábado, 6 de maio de 2017

Silvinho Santos, finalmente teve prisão decretada. Mas apresentou-se no Corpo de Bombeiros!

     




O radialista Silvio Santos, conhecido como Silvinho Santos, teve a prisão decretada, nesta quinta-feira (04), depois de esgotadas as possibilidades de recursos, tendo transitado em julgado - como diz o jurisdiquês.                           


Pois Pois bem, Silvio Santos deveria então apresentar-se em uma da casas penais ou delegacia. Ou mesmo, aguardar sua prisão.  Mas vejam só:  apresentou - se no Quartel Geral do Corpo de Bombeiros do Pará.   Silvio Santos é condenado a mais de cinco anos de cadeia em regime semi-aberto por crime de extorsão.                                                                





Relembre (DOL                                                  
 EXTORSÃO
De acordo com o processo, a denúncia de extorsão foi feita em 11 de maio de 2004 pelo Ministério Público e era referente a uma situação ocorrida no final de 2003, início de 2004: naquele período, a vítima Raimundo Nonato de Oliveira denunciou que foi alvo de calúnias e difamações no programa “Mexe Pará”, da Rádio Marajoara.



No dia 21 de janeiro de 2004, Raimundo Nonato passou a receber telefonemas de uma pessoa desconhecida, que pedia a quantia de R$ 50.000,00 para que cessassem as difamações e calúnias proferidas no rádio contra ele e sua família.
A partir do dia 26/01/2004 a vítima passou a receber ligações de uma pessoa que se identificava como Francisco Carlos Magno, que também foi denunciado no processo. Magno é radialista da Radio Marajoara e assessor de Silvinho Santos. A vítima registrou um Boletim de Ocorrência sobre os fatos em 03/02/2004.
Segundo o Ministério Público, no dia 30/01/2004, Carlos Magno ligou para a Raimundo Nonato dizendo que poderia baixar a quantia de R$ 50.000,00 para R$ 30.000,00 e que aceitaria um cheque de R$ 26.000,00, sendo que o restante deveria ser pago em dinheiro. Foi quando a vítima acordou com Carlos Magno que tanto ele quanto Silvinho Santos iriam até o Posto Invencível, localizado na Travessa Lomas Valentinas, às 12h30 do dia 02/02/2004, para receberem o cheque.


PRISÃO
No dia 02/02/2004, por volta das 12h40 a vítima, seguida de perto por policiais civis, foi ao encontro de Silvinho Santos e Carlos Magno no local marcado. Lá chegando, os dois se encontravam no interior do veículo da marca Parati, cor preta. Em seguida desceu do automóvel Carlos Magno, seguido de um outro homem identificado como “Mercias”. Silvinho Santos permaneceu no interior do veículo.



O empresário, os policiais civis, Carlos Magno e Mercias, ficaram no pátio do Posto Invencível, instante em que Raimundo Nonato entregou a Carlos Magno o cheque de n°000498, Agência n°2831, conta n°004197, no valor de R$ 30.000,00.




No momento em que o radialista pegou o cheque, os policiais civis surgiram e lhe deram voz de prisão. O auto de prisão em flagrante delito foi lavrado contra os Mercias de Oliveira, Francisco Carlos Pinheiro Magno e Silvio Carlos Santos em 02/02/2004. A denúncia, acompanhada do Inquérito Policial e do rol de testemunhas foi recebida em 17 de maio de 2004.
CONDENAÇÃO E RECURSO



Nas alegações finais, o MP requereu a procedência da denúncia e a condenação dos três acusados. Os denunciados apresentaram defesa e negaram o crime. Na sentença, o juiz não encontrou provas nos autos de que Mercias de Oliveira tenha participado da extorsão por telefone, razão pela qual decidiu por sua absolvição.



No caso de Silvinho Santos e Carlos Magno, segundo o magistrado, ficou devidamente configurado o crime de extorsão por parte dos dois denunciados e os condenou no dia 25/04 de 2010 à pena de cinco anos e quatro meses de reclusão e 87 dias-multa sobre 1/30 do maior salário mínimo mensal vigente ao tempo do fato, com pena a ser cumprida em regime semiaberto em estabelecimento prisional do Estado, pelo cometimento do delito previsto no artigo 158, § 1o, do CPB (extorsão).




Alegando falta de provas, a defesa dos dois radialistas apelou contra a condenação para a 1ª Câmara Criminal Isolada do Tribunal de Justiça do Estado do Pará e dois anos após a sentença, em 28/08/2012, a câmara negou provimento ao recurso, mantendo a condenação, determinando apenas que o juiz de primeiro grau procedesse nova dosimetria..... É por aí vai. (Com informações do DOL).

quinta-feira, 23 de março de 2017

Portel (PA): Caminhada de Atualização da Política


Estarei neste final de semana em Portel, na região do Marajó (PA) para um diálogo sobre política no município e a forma de fazer política da Rede Sustentabilidade. 

Foto: Rafael Araújo



Portel, é um município com grandes possibilidades para o desenvolvimento sustentável e para a economia da floresta e de seus povos. Mas ainda tem índice de desenvolvimento humano muito baixo e graves problemas na oferta de serviços e equipamentos públicos tanto na zona rural quanto na zona urbana já muito pressionada pela migração rural. #vempararede #rede18



As atividades partidárias no município começam no sábado pela manhã. A discussão política ocorrerá no  QUIOSQUE BEIRA MAR, na Avenida Augusto Montenegro, S/Nº, Praia de Arucará, Centro, no horário entre 14:00 e 18 horas;  


E para participar Carmen ? 

Olha ai o telefone 98192-8201- e  e-mail: coletivoredeportel18@gmail.com;

Bora construir, manxs! 

Bora, que o portão da má política está aberto e corroendo esperanças. 

Mas a porteira das boas práticas está também aberta. Faça sua escolha!












quarta-feira, 1 de março de 2017

Mocajuba e seus causos políticos.

Uma amiga teve um entrevero virtual com um Secretário do Governo Municipal Mocajubense...
***




Daqueles agudos que as palavras saem “tudo-tremido” - como  se diz em linguagem popular.


****

Pois bem [...]
Na ocasião, o desentendimento teria sido porque minha amiga dizia a ele que mesmo assumindo o cargo de secretário, era na realidade "um pau mandado", que não tinha autonomia e que por trás deles haviam comandantes  e etc.


***
Daquele jeito. 
Foi um vuco-vuco para cá.
Vuco-vuco para lá.
***

E conversa vai, conversa vem.
O papo morreu por ai, como toda intriga virtual.
Mas foi forte. 


***
Eis que certo dia...
Ela estava em um lugar público com um grupo de amigos, lá pela beira do Rio Tocantins e o Secretário aparece [...]

Saca um “inormíssimo” terçado da mochila, e além disso parecia foooora de si.
Visivelmente transtornado e armado.


***

Rapaaaaaz!!!
Diz ela, que ela pensou: morri.
E sentada a espera das terçadas, despediu-se da farinha e imaginou seu fim.
Menos de um minuto angustiante, que nem seus "cambitos" conseguiam tomar uma atitude e sair correndo.





farinha de mandioca
***

Para sua sorte, diante do estado do secretário, alguém o interpelou.
Então, ficou claro que  seu alvo  era um radialista que comumente envolve-se em grandes confusões pelas manifestações em uma certa rádio da cidade. E não minha apavoraada amiga. 

***

Depois de acalmado, ele seguiu em busca de seu alvo e minha amiga voltou aos braços da farinha.

Ufffa!
Foi por pouco.

***

Eita Mocajuba!

Sua política e seus causos. 

Coordenador da Juventude da Gestão em Mocajuba diz que quem votou em outro candidato (a), só pode reclamar de algo quando seu candidato (a) se eleger!



Quarta - feira de cinzas !  

Um bom dia para reflexões sobre política pública, especialmente em Mocajuba, que em 120 anos nunca tivemos muitas mudanças essenciais no trato com a coisa pública - principalmente quando o assunto é impessoalidade. E por isso chegamos onde chegamos - uma pequena elite mofada e enriquecida, não raro formada por criminosos do colarinho branco - que deviam estar na cadeia. E de outro, a criminalidade e a falta de alternativas aumentando. No meio disso, uma espécie de "classe média" que sustenta a oligarquia e, faz parte dela, como vassalos e aliados úteis. Eles orbitam em torno da oligarquia-núcleo, e ora seguem uma fração dela, ora seguem outra.


Um voto útil inflamado por uma campanha rica em marketing tirou o grupo de Rosiel Costa (PR) e elegeu Fátima Braga (PMDB) - com forte conotação de vingança - "tira ele que ele é ruim, e ela tem tutano financeiro para vencê-lo", era o que se ouvia nas ruas. Era o que as pessoas diziam a mim, como candidata a prefeita nas últimas eleições. 



E ver em redes sociais posturas clássicas do "modo Rosiel Costa" de governar nos leva a crer que podemos estar diante do famoso "seis por meia dúzia". 


Eu testemunhei isso várias vezes, em uma delas, o ex-prefeito disse a um trabalhador rural que manifestava melhorias nas condições de educação na comunidade " Fulano, tu não votastes em mim". Os manifestantes gravaram em vídeo e e você pode ver aqui. 



Princípios da gestão pública com a impessoalidade e a eficiência foram esquecidos ? 
Ou nunca foi tomando conhecimento? 


Se não isso, o slogan não era "O novo, para governar para todos"? 


Os novos representantes do poder público, são servidores ou marionetes de uma estratégia de constrangimento a qualquer tipo de crítica? Alguém está também lendo as estratégias fascistas de manutenção no poder pelo constrangimento público e inibição a qualquer  debate ?  Não era assim que Rosiel Costa (PR) agia, (e ainda age, né Rosica?, poxa mano, agora somos iguais, perdemos a eleição, tu com aquela campanha milionária, ou melhor, luxuosa, e eu com minha campanha modesta, mas entre nós, não há diferença - os dois perderam) 







É isso mesmo ? 

A gestão é exclusiva de quem votou ? Os demais cidadãos e cidadãs estão alienados de qualquer manifestação? Eu não votei. Eu estou chorando ou manifestando meu direito a liberdade de expressão?  

É a esse tipo de postura que está novamente entregue prefeitura de Mocajuba (PA)? 

O chamado "rei na barriga de nosso oligarquia Imperial amparada por um vassalagem envaidecida e raivosa com total desconexão com o quê prima a gestão pública? 


Obviamente nunca achei que o grupo de Fátima Braba poderia trazer grandes mudanças a gestão, e por isso, mesmo convidada - recusei-me a participar do projeto político do PMDB na cidade. Contudo, nutria certa esperança de avanço mínimo no trato com a coisa pública. Observação: isso não significa limpar as ruas, posto que isso é serviço básico. Mudança no trato com a coisa pública é outra coisa. 

Nota importante: essa estratégia da acusação de "choro" não faz efeito em mim.  
Em tempo: Rafael Wanzeler chamou-me no bate papo do Facebook, com a expressão " antes de você falar alguma coisa, deveria saber primeiro a real situação. ok ?????? 


Ressaltou que nunca citou meu nome do debate político eleitoral, em uma manifestação de respeito e amizade, acredito.  Expliquei para Rafael Wanzeler que não estava conflituando com ele (pessoalmente). Mas pautando uma questão importante para o debate público. Eu continuo acreditando nisso. Visto que não é apenas Rafael Wanzeler, muito significativamente, Coordenador Especial da Juventude do governo Fátima Braga (PMDB) que adota tal postura de tentar, via redes sociais, emplacar essa idéia de que quem não votou na prefeita eleita, nada pode falar. Muitos membros curtem e reproduzem em seus posts.  


Como pensar a política da juventude e a política em geral com tal tipo de postura? Ao invés disso, não deveríamos estar construindo canais de participação para que a política pública espelhasse os anseios dos jovens? Dos demais?  



Com a palavra a prefeita eleita Fátima Braga...

domingo, 5 de junho de 2016

Marina Silva e uma mocajubana que virou Matinta!


Foto: Welhington Paes

Essa semana que passou estive alguns dias com nossa porta-voz nacional da Rede de Sustentabilidade, Marina Silva.


Dias incríveis, para trocar experiências e aprender muito. 
Novamente.



Boas práticas políticas sem dúvida a gente aprende com quem ás vive rotineiramente.
Marina é ética,
Profundamente culta,
Pensa muito rápido e é extremamente generosa.
Quando mais a conheço, mais a admiro.
Posso não ser "marinista" no sentido do culto a uma pessoa,
Mas sem dúvida, sou marinista na defesa de um modo ser.
Um modo de viver boas práticas políticas;




Conviver com Marina é uma grande oportunidade de se aprender a ser melhor.
A manter a firmeza de propósitos.
E como nos conduzir dentro de uma trajetória para passar a limpo a política;
E resgatar sua importância e credibilidade diante das pessoas.





Estes dias de vivência ao lado dela,
Vi seu lado humano diante de uma leve crise de pressão.
Senti profundamente, pensei: ela não é imortal.
Mas, olhando novamente sob outro ângulo, percebi sem dúvida de sua imortalidade.
O conhecimento profundo da política e da realidade brasileira fica menor diante de sua grande capacidade para ação política e para o reinventar a política pelo exemplo.
Liderar pelo exemplo.
E nos ajudar a sermos sempre melhores,




Sua aparente fragilidade desmanche-se diante de seus argumentos. Da autoridade dos argumentos.




E entendo, quando diz que pessoas virtuosas constroem instituições virtuosas que produzem instituições virtuosas. E tentamos fazer isso criando e operando um partido em Rede, diferente de tudo que já se viu no país. 
Não pronto, mas em construção cotidiana.
Democratizar a Democracia 
Primar pela horizontalidade e não por decisões verticais,
Dialogar com respeito,
Respeitar a diversidade,
Construir a sustentabilidade por inteiro.






Sem dúvida, com todo respeito a quem segue políticos tradicionais, eu não vejo como convivermos com canalhas e não sermos levados a canalhice. 
É preciso aliar-se a quem busca levar  a cabo novas práticas políticas.
E tem a generosidade de ensinar.





Eu sinto que estou onde sempre deveria estar.
Rede de Sustentabilidade.
Ao lado de Marina.
Marina Silva.
Imortal.


Foto: Welhington Paes

"Veja bem, meu amigo, a consciência é um orgão vital e não um acessório, como as amígdalas e as adenóides."(Martin Amis)

Leitores do Amazônidas por ai...


localizar