Curta AmazôniaeCia

terça-feira, 22 de abril de 2014

Aquelazinha é Top: Paula Gabriele Batista Furtado



Todas as fotos são do arquivo pessoal daquelazinha
Gabriele Batista





Gente,

Essa coisa de nos olhar com amor é um exercício de cuidado.
Desde criei esse blog sempre tive essa intenção, de que se uma pessoa de fora, seja no país ou fora dele acessasse veria coisas de nós contados por nós mesmos, amazônidas.
E que a gente é 'TUDO-TOP"!!







Agora me digam se "essa-zinha", aquela-zinha-neta-do-Misael-Batista, não é TOP?




Linda,
Altiva,
Gente boa,
Do bem.






Bondade gera um energia,
Por isso aquelzinha Gabrielle Batista, é nossa homenageada desse espaço - NÓS SOMOS TODOS TOPS.






Prestativa, adora animais.
E carrega consigo aquela vontade de andar por ai e conhecer o mundo.






Uma linda menina amazônica, quem tem sangue das ilhas de Cametá, mas que poderia estar em qualquer canto do mundo espalhando beleza, simpatia e energia do bem.
A família "batista", possui uma vila enoorrme em Cametá, chamada "Batistada".
Todos que rodeiam sentem a importância do companheirismo.
Parceira.
Afinal, boniteza, não resolve nada quando se precisa de um amigo.








Descolada adora musculação,
Para se manter assim, TOP.
Geente,
Nem precisava.
Ela entrou cinco vezes na fila da boniteza.






Perfil:  Paula Gabriele Batista.
Idade: 19 anos.
Formação: Técnico em Administração
Mãe: Selma Batista.
Ainda é flamenguista, diz que.




Parabéns flor.




segunda-feira, 21 de abril de 2014

Baião: Acidente com Micro-Onibus, uma pessoa morreu.

Foto: Antônio Cícero/Diário do Pará
A notícia agitou as redes sociais no baixo-tocantins. Um informação vaga sobre um acidente envolvendo o que seria um ônibus vindo ou indo para Baião. Como muitos de nós possuem parentes e/ou amigos na cidade vizinha a Mocajuba (PA) - logo todos estavam apreensivos. 



Começou logo o vuco-vuco...

Encontrei esse relato e a foto acima na página de minha amiga Tereza Farias:

"Um acidente, envolvendo um ônibus, foi registrado por volta das 15h desta segunda-feira (21) no Km 21 da Alça Viária. 

Uma pessoa morreu.

De acordo com testemunhas, o motorista teria perdido o controle da direção e o veículo capotou várias vezes. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não informou quantas pessoas ficaram feridas, apenas que elas foram atendidas por equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)."

Fonte: DiárioOnline

Outra colaboradora lindôncia mandou esse print.








Uma correçãozinha.

Baião fica na micro-região de Cametá.






Sobre a moça que faleceu.





Destaco que além da morte, os ferimentos são 

muito graves. Fiquemos atentos ás viagens e as 

condições de acomodações.








Audio causa reboliço na cidade, ao apresentar suposta tentativa de compra de vereadores pelo prefeito em exercício.....





Ou trata-se de um jogo mais sujo de montagem e disputa de poder?

O blog recebeu o línk desse vídeo, com um áudio que teria sido veiculado na Radio Cidade de Mocajuba (PA), a rádio apelidada de "a rádio do prefeito". O programa conhecido por atacar oposicionistas, inclusive atribuindo a mim o fado de "Matinta Pereira', é comandado pelo radialista, o dublê de punhamesa, Denivaldo Farias.
No vídeo/aúdio é possível ouvir uma voz que a princípio parece ser mesmo a do prefeito José Antônio Castro (PSD). E que, que segundo informa a legenda do áudio - seria uma tentativa de corrupção e apropriação de dinheiro público através de práticas fraudulentas de gestão com intuito de comprar vereadores para cassar o prefeito afastado Rosiel Costa (PR).




Mãããs....
O que se ouve de fato no áudio é um trecho editado em que o  prefeito em exercício, José Antônio Castro descreve as supostas  formas de "legalizar" retiradas de dinheiro para apoiadores.

"Legalizar", neste contexto, seria sinônimo, burlar a prestação de contas. Tirando "de algum lugar". Ou seja, de alguma fonte de recurso público,  que como tal  é preciso prestar contas na forma da lei.



Segue a transcrição das falas.

- 'Meu irmão, política tudo se conversa.
-Comigo não tem esse negócio...
-Ha!! Com fulano eu não converso.
-O cara quer conversar, se acertar.
-Bora sentar e se acertar.
-Não tem esse problema nenhum.


- O que eu combinar. Eu cumpro.
- O que não der.
- Eu te disser, olha não dá no momento.
- É que não dá mesmo.



-Vou te dizer o que que não dá no momento.
-Não dá pra resolver o problema do combustível.
-Não tem como pagar em ajuda econômica agora.
-No momento!!



-Porque para tu fazer isso {...]
-Tu tens que pegar de algum lugar.
-Tens que legalizar e etal.


-Aqui não tem nenhum bobo.
-Tu sabes que na hora que eu fizer alguma licitação.
-"Negócio de Construção" que a gente vai ter.
-Tem uma "beira".
-Na hora que tiver a beira.
-A gente vai dividir com os irmãozinhos.
-Vocês podem ter certeza, que na hora que eu pegar uma "beira".


-E eu estou falando sério.
-Eu sempre fiz isso.
-Quando eu ganhava qualquer gratificação no navio.
-Eu dividia com eles e tal.
-Então vai ser assim.



-Saiu a beira.
-Eu chamo: ['Olha tem um beira aqui].
-Metade é do prefeito.
-Metade eu vou dividir com os irmãozinhos aqui.
-[heheheheh]

-Eu vou ser jogo aberto.
-Pode ter certeza disso.
-Não ter esse negócio [...]
-Até porque mentira tem perna curta.
-O cara come depois conta pro outro e depois da a cagada que dá'.






Muita gente disse que a gravação era uma montagem mal feita.
[Ha!! maior vuco-vuco]
E etc e tal.
Que não era a voz do prefeito.
Que era alguém com voz muito parecida e etc tal.


Pois bem.
Cabem-com-isso!!

Eu liguei para o prefeito em exercício José Antônio Castro  e perguntei.
A voz não só é dele, como trata-se de uma conversa onde estariam dois vereadores presentes.
É uma gravação real, editada.
Mas não é montagem.



Segundo ele, trata-se de uma conversa que ocorreu entre ele e, supostamente, o vereador Eder Baia (PSB), onde também estava a vereadora Socorro Dutra (PMDB) - há aproximadamente vinte dias. [Acrescentando a palavra suposta, por ainda não termos falado com o vereador Eder Baia. E aproveitamos para pedir que ele entre em contato para que possamos ouvi-lo.]




Continuando sobre a  conversa com José Antônio Castro (PSD)...

Perguntei se o prefeito não acha que isso tudo pode prejudicá-lo e que pode ter consequências negativas.


Ele respondeu que não.
Que não acredita nisso.
Que a gravação ocorreu de forma ilegal.
Que a conversa, na íntegra, supostamente comprometeria mais ao vereador Eder Baia, do que a ele. Por isso que a gravação é apresentada apenas em partes.
Ou seja, sem o outro interlocutor.
Que o que prefeito Rosiel Costa (PR) aliado de Eder Baia(PSB), o ameaça e tenta chantageá-lo continuamente. Que o que ele, Rosiel Costa (PR), pode fazer é tentar prejudicá-lo politicamente, o difamando e etc tal.
Que o conteúdo da conversa, segundo ele, não o compromete,  pois não ofereceu dinheiro, não tenta comprar ninguém, estava apenas explicando como poderia fazer para "ajudar o vereador" que foi procurá-lo no sítio dele.




Indaguei ainda se, não indica que há esquemas de corrupção no governo para geração dessa tal "beira" ou "beirinha'. Uma vez que ele fala em legalizar o recursos e isso poderia indicar esquemas de fraude.

Ele respondeu que não que isso é uma conversa entre amigos, informal e evasiva e que ele estaria tentando responder a solicitação de apoio requerida pelo vereador.
Que não disse que faria licitação com "A", ou "B" e etc tal.
E muito menos falou em compra disso ou aquilo.



Bem, minha gente.
Eu ainda acho que isso compromete.
Como concordou o próprio José Antônio Castro (PSD), prefeito em exercício.
Mas isso, apenas no plano político da difamação afetando a imagem.  Todavia o fato de ele não pretender candidatar-se novamente, não altera o rumo das coisas para ele e et tal.
Contudo parece ele pareceu seguro de que isso não vá em frente visto que o vereador, supostamente envolvido na conversa teria mais a comprometer-se do que ele.




Ou seja, eu acho que isso vai ficar, se depender do grupo de Rosiel Costa (PR), no plano "da aporrinhação do ouvido" de vocês através da rádio.
Trata-se de instrumentos de uma disputa estéril de poder.
Eu estarei convencida do contrário, se Denivaldo Farias, Eder Baia (PSB) e Rosiel Costa (PR) entrarem na justiça e pedirem providências. Ou outros agentes que estejam de posse da gravação.
Então, teremos mais uma novela.
A novela da "beirinha"

[Isso parece uma piada sexual que minha mãe conta}



Mas eu, como blogueira e estudante de doutorado  - posso apenas divulgar e ouvir as fontes.
Vocês leitores é que devem tirar suas conclusões.

Aos vereadores, caberia a solicitação da fita inteira, na justiça ou direto ás fontes,  para que seu conteúdo fosse avaliado e as práticas do governo fossem debatidas de forma séria e dentro dos fóruns adequados.
Mas qualquer cidadão comum pode solicitar ao Ministério Público que tome providências.
Afinal, vamos assumir o leme da cidadania e fazer o que é devido.

Temos um quadro de vereadores que devem realizar essa tarefa, que é a de fiscalização do poder executivo sob pena de ganharem a pecha de conviventes.
Esse é um debate sério que deve ser avaliado no campo do legislativo mocajubense e do judiciário.
Além de que a sociedade civil pode mobilizar-se também, cobrando do governo as explicações devidas.




beijocas,
não precisa ser no ombro,
pode ser beijo de gente que tem ternura pelo outro.












































domingo, 20 de abril de 2014

Mocajuba: Operação do Detran em Mocajuba gera polêmica e leva moto-taxistas às ruas da cidade

Sábado, pela manhã inicia divulgação de Manifestação de Moto-Taxistas na cidade.
Timóteo Benassuly, assessor, amigo e aliado incondicional de José Antônio Guimarães (PV), mocajubense derrotado no pleito ás eleições municipais lança notícia na rede social Facebook.


Visual da manifestação.

fotos: Timóteo Benassuly


fotos: Timóteo Benassuly


fotos: Timóteo Benassuly


fotos: Timóteo Benassuly



fotos: Timóteo Benassuly



Contextualização 

Desde a época das eleições municipais o grupo de Rosiel Costa (PR) e de José Antônio Guimarães (PV) mantém relações de cordialidade. Uma espécie de "aliança branca" onde um grupo não atacava  outro. Diferente da postura dos dois grupos em relação a terceira candidata e segunda colocada Alda Ferreira (DEM).





Bem...

Depois de anunciada a manifestação por Timóteo Benassuly no facebook.

Ás três horas, começou o vuco-vuco.
A passeata seguiu pelas ruas da cidade e direcionou-se até a Rádio Cidade (apelidada de Rádio do Prefeito), onde o próprio prefeito afastado Rosiel Costa (PR) aguardava. 
O radialista Denivaldo Farias, conhecido rosielsista, também estava envolvido.


Prefeito Rosiel Costa (PR) afastado sob acusação de formar uma quadrilha para roubar a cidade.
Timóteo Benassuly,  assessor/amigo/aliado de José Antônio Guimarães, candidato derrotado na eleição municipal para prefeito da cidade.

Timóteo Benassuly informou que essa foto não é de ontem, trata-se de uma foto antiga, que é amigo de Rosiel Costa independente das questões políticas.


A manifestação terminou com muita confusão entre manifestantes a  favor e contrários a manifestação. Outras fontes dão conta que foi entre o radialista rosielsista Denivaldo Farias e manifestantes contrários a manifestação e ao final houve um forte tumulto.


Como Timóteo Benassuly, assessor/aliado/amigo de José Antônio Guimarães estava diretamente ligado a ação, falamos com ele.


Timóteo Bessaly, perguntado sobre a confusão, informou ao blog, que não sabe entre quem foi a briga e não tem informações sobre o tumulto. Apesar de outras fontes, como César Pantoja darem conta de que ele tenha presenciado os fatos.





Contudo, informou que na terça-feira terá outra manifestação. 
Também ressaltou que estava no ato para acompanhar seu irmão que é da categoria. 
Fez questão de ressaltar que quem estava na manifestação era o "Timóteo Benassuly". 
E que não gostaria que eu falasse seu nome.
Eu sinceramente não entendi. 
Mas o blog não pode faltar com a verdade dos fatos.







A principal reivindicação da manifestação  é que o Detran (PA) saia da cidade e pare com as fiscalizações.



Nota do blog: apoiamos a categoria de moto-taxistas plenamente, e acreditamos que é possível pensar em um política de regularização e apoio financeiro, creditício e educacional. 





A legislação de trânsito é estadual. Porém, se tivéssemos planejamento municipal adequado, poderíamos ter também um boa política de apoio no município a esta que é a forma de renda encontrada para os que decidem não sair da cidade, mesmo com a ausência de novos postos de trabalho.



[...] Contudo, é preciso pensar de forma séria e comprometida e que não os deixe vulnerável as imposições da lei. Para que trabalhem com tranquilidade, e dignamente continuem assegurando dignamente o sustento de suas famílias. 




[...]Esse debate e as ações precisam ser verdadeiramente sérios que resolva os problemas da categoria de forma definitiva para que atuem sem sobressaltos.





Uma das coisas imediatas que podia ser feita por todos que os apoiam era fazer uma "vaquinha" (especialmente, os agente políticos que divulgam a idéia de quem são pessoas de grande posse financeira) e regularizar as pendências deles deixando-os trabalhar sem sobressaltos. Não adianta apenas "expulsar o Detran-Pa" da cidade, visto que da lei é difícil escapar. 



Façamos aqui um exercício do que a política local poderia fazer, seja o prefeito em exercício José Antônio Castro (que já declarou que não tem problemas com dinheiro na administração) ou outros agentes, especialmente, aqueles que tentam credenciar-se para atividade pública na cidade.


Tudo que envolve emprego e renda - não é apenas da alçada da lei.





As associações poderiam levantar as pendências e verificar qual é o montante devido de cada um - com apoio logístico do executivo e do legislativo local.






Igrejas, vereadores, prefeito, comerciantes, lideranças, inclusive o prefeito afastado, mas muito rico, poderiam apoiar um grande evento para angariar fundos e resolver possíveis débitos.





Os moto-taxistas podem também regular-se como EMPREENDEDORES INDIVIDUAIS e conseguir não só direitos como previdência, seguro-saúde, licença-maternidade e também ATÉ 30.000 reais a juros irrisórios (0,3%) em forma de empréstimos. 



As associações poderiam buscar apoio do SEBRAE para ajudar na profissionalização, cursos, melhorias dos serviços e etc.



As rádios poderiam mobilizar a população para apoiá-los e cuidar dos profissionais que são tão caros a cidade. 


Devemos lembrar que com a cidade com a economia parada, eles também devem sofrer impactos no faturamento e ter dificuldades com a gestão do seu negócio.




Tanto a cidade, quanto os moto-taxistas precisam de cuidados e apoio e todo mundo sairia ganhando. 


Eu acredito em dias melhores.








Mocajuba - Feriadão de Páscoa, Nossa Praia Inventada Lotada e a Banda Sedução seduzindo a cidade.

O visual é do mocajubano Elias Figueiredo




















Mocajubenses, de coração ou naturais curtem a cidade no feriadão cristão da Páscoa.
No sábado, a Praia dos Górgons, nossa praia inventada, estava lotada.
A Banda Sedução animou o público presente.

reprodução

reprodução




Nota importante: por motivos populistas, faz-se uma política rasteira no município que impede de pensar seus problemas estruturais, e um deles é o problema "costeiro" que temos e que cada dia mais se agrava, com as próprias autoridades do município desrespeitando a legislação ambiental promovendo intervenções na margem do Rio Tocantins, comprometendo a "Orla" da cidade , que já está a desmoronar, a nascente existente na praia e o próprio rio que é ASSOREADO DELIBERADAMENTE COM A DEPOSIÇÃO DE AREIA NA PRAIA.




É POSSÍVEL USUFRUIR DAS BELEZAS DO RIO, SEM DESTRUÍ-LO FALTA COMPROMISSO E COMPETÊNCIA.
Perguntemo-nos?
Para que serve afinal a Secretaria de Meio Ambiente na Cidade?






Feriadão na cidade- dia de curtir o que melhor a cidade oferece, natureza, banho de rio, frutas frescas...amizades.

Mocajubense, do "Barro Amarelo, curtindo o "sítio".
Rubenita Viana - "chupando cacau.


*sítio: vocábulo usado para referir-se a área rural ribeirnha da cidade.

Feriadão em Mocajuba

Botos no Porto de Mocajuba
Botos no Porto de Mocajuba

Botos no Porto de Mocajuba


E todos aqueles que saem de seu lugar, que a 117 anos é comandado por uns poucos,  voltam para contemplá-lo sob novo olhar.



Basta chegar ao porto da cidade, ou Mercado Municipal e oferecer algum alimento, os botos aproximam-se para comer e causam um sentimento novo no doador que mistura alegria, curiosidade, espanto.


Pena, que uma política de gestão de recursos pesqueiros, preservação da biota ou fortalecimento do turismo ainda não se faz presente na cidade.


Infelizmente nossas belezas cênicas, paisagíticas e os recursos naturais não são vistos pelo  lógica patrimonialista que gestão da cidade que imperou e impera no governo municipal.





quarta-feira, 16 de abril de 2014

O Departamento de Transito do Pará, Detran - Está realizando ações em Mocajuba (PA)

Fotos: Timóteo Benassuly


Fotos: Timóteo Benassuly


A população assistiu animada as ações,
[...] Que tornaram-se quase um espetáculo, já que a ação não é rotineira.



Muitos veículos foram rebocados, especialmente motos.
Com a cidade parada, recuo no comércio e ausência de outros dinamismos - uma ação comum torna-se algo que atiça a curiosidade.




Ainda é preciso pensar a gestão do transito na cidade,
Inclusive lembrando que os serviços de moto-taxi tornaram uma das fontes de renda no município.
Além disso, é transporte preferencial do trabalhador rural, que muitas vezes mantém-se na informalidade, e por conta da ação vai voltar para casa sem a renda esperada.


É preciso zelar pela questão legal - mas também pelas questões sociais subjacentes.

Com a palavra, nosso amigo procurador do Detran, Reginaldo Ramos - o idealizador e patrono do mais novo empreendimento do ramo da hotelaria mocajubense.



Atualização.
Um colaborador do blog, pediu para lembrar que as motos também são importantes para o transporte privado urbano.

Piadinha do Face

reprodução

Não dá para colocar essa máquina lá na Primeira Rua de Mocajuba (Getúlio Vargas) nos lados da Casa Verde do Bairro da Fazenda.


Um oferecimento,
[...Não vou nem colocar Rosiel Costa, para dizerem que eu estou chutando cachorro morto]

(risinhos)

terça-feira, 15 de abril de 2014

Caso Maurício Américo

A cidade de Mocajuba, espera por justiça, enquanto Maria José Pinto, dissemina mentiras sobre meu irmão e sobre as circunstâncias de sua morte.
Ficamos meses a fio, calados, resignados.







Mas devemos a Maurício Américo, o esforço de convencer os poucos ainda enganados.
Para que não reste uma úncia dúvida.
Nem aos que são mais próximos a ela e aos quais ela tenta convencer daquilo é que é impossível.
E como sempre recorrendo a mentiras.








[Caros, recebi um cometário de alguém enganado por Maria José Pinto, não vou publicar o cometário porque anônimo não direito a publicação de opinião, mas como, obviamente isso também deve estar sendo dito na cidade. Vou responder por aqui.]






1. Maurício Américo não foi informar minha mãe que se separaria por causa de nenhuma mulher. Mas sim, porque estava cansado da vida torta que levava - e já que o próprio filho tinha direito de viver a vida dele, inclusive "fazendo neto, para ele criar", a partir de então ele viveria a vida dele em paz.
Eu era sua confidente.
Especialmente, quanto se tratava de seus amores.
Ele ficava vibrante, animado...






Mas algum tempo antes desse período, eu tinha "TRANÇADO UM PAU" enorme com ele, porque ele estava cada vez mais parecido com a mulher e nunca encontrava tempo para os pais. Todos acostumaram-se com a situação da relação de minha cunhada com meus pais e ele acomodou-se. 








Contudo, ele entrou em choque por conta do meu desabafo,
Entrou em crise, já que nós NUNCA TÍNHAMOS TIDO NENHUMA DISCUSSÃO SEQUER DURANTE A VIDA.










Por outro lado,  causa disso, MARIA JOSÉ, QUE VIVIA A CATA DE UM MOTIVO PARA AFASTÁ-LO DA FAMÍLIA, PROIBIU ELE, TERMINANTEMENTE DE FALAR COMIGO.






Mas MEU DESABAFO COM ELE NÃO FOI EM VÃO,





[...] entrou em crise de consciência, e passou a dedicar-se mais a família.
E repensar o que vivia naquela casa.
Todos devem lembrar que minha mãe foi internada em Mocajuba, e eu fiquei desesperada  de Belém pedindo para ele que fosse vê-la, e ele só apareceu depois que o diretor do HOSPITAL MANDOU CHAMÁ-LO.




Por isso, eu o fiz ver o que ele estava fazendo. 
Esse é o plano de fundo dos acontecimentos que desencadearam sua morte.
A namorada, ele já tinha realmente, terminado. 
Mas a humilhação que Maria José passou mais uma vez, ela não tinha esquecido e nem sabia da real situação dos dois. 
Não tinha como ela saber, já que ele a enganou por seis anos - para tratarmos apenas dessa namorada.











2. Umas das maiores evidências do tipo de vida que ele tinha é que sempre ele "emendava" uma mulher na outra.
E a mulher que vivia na mesma casa que ele recusava-se a separar.
Ameaçando-o.
E dizendo inclusive a família coisas como: "eu queimo tudo", eu jogo o carro em cima deles. E etc.








3. O último grande amor dele, a Marcilene Alves, (que passava inclusive temporadas dentro da própria casa dele, quando a titular/das conveniências sociais lhe dava uma folga) não estava mais com ele quando ele foi em casa falar com minha mãe que iria separar.
Coitada da Marcinha.
Mas a mulher não tinha esquecido a humilhação.






Portanto, caro anônimo (a).
Procure os vizinhos de nossa rua.
Vá a delegacia e leia os depoimentos.
Meu irmão, não merece isso.
Muito menos minha família.







Minha mãe foi lá na delegacia depor,
De cara limpa.
Depor e pedir providências quanto a morte de seu filho.














Porque você vem aqui como anônimo (a)?
Ou será que sua identidade é presumível?
A mãe que foi a delegacia, é a mesma mãe, que todos sabiam que era humilhada e renegada pela nora e ficavam inertes, omissos.
Claro, sei que muita gente de bem repudiava e continuou repudiando, que  mesmo depois de sua morte e antes de saber que já sabíamos de toda a verdade - manteve o mesmo comportamento arrogante, perversa com meus pais.













Anônimo (a) meu caro,
Suas palavras são tão cheias de verdade que você só pode vir aqui como anônimo (a).
Significativo né?












Isso é mais uma mentira.
E é tão íntimo que só pode ter partido dela, tentando esconder a verdade dos fatos.
E mais uma vez foi "pega-na-mentira".
Porque ela não  pode  falar em emails, já que os emails que eu trocava com ele, ela não tinha acesso.
Pede para ela mostrar esse tal email - se ele existisse ela mostraria.











Isso não existe.
E afinal, para que mentir?
Não dizem que "quem não deve não teme"?









Ele nunca me enviou nenhum email sobre a Marcilene.
Falávamos sobre ela abertamente, sempre.
E Maria José Pinto sempre soube disso, e tentava nos manter afastados a todo custo.











Ela sim, era minha cunhada, minha parceira, trabalhava comigo....
Porque eu gostava dela?
Porque meu irmão era outra pessoa quando estava com ele.
Feliz, leve.
E não pensem que nós fazíamos qualquer coisa para intervir na vida de casado dele.
Nada.
Respeitávamos.

Como irmã, eu só podia apoiá-lo.


Quem nos mantinha afastados por medo de perder uns vinténs era a mulher dele.


Não era só eu que o apoiava.
Ele tinha uma vida aberta para os mais proximos.
Todos os funcionários de confiança dele conheciam  sua vida paralela.
Suas dificuldades com a mulher.
Inclusive ela demitiu deles por conta disso.









Marcilene não era mais uma de suas muitas namoradas.
Ela vivia com ele...
Com casa montada e etc tal.
Investigue onde eles viviam....






É uma pessoa doce, do bem e o amava.
Ele tentou firmemente prepará-la para um futuro juntos.
Era segundo ele mesmo, seu respiro, seu alivio.
Linda, simpática, cheirosa e jovem...
O que mais eu quero? Ele me dizia.
Eu tenho todos os emails dele, ele não nunca falou nada disso comigo por email - a Maria José sim, falou comigo pelo Facebook colocando coisas na boca dele.








Usando o Facebook dela.
[Um Facebook do qual ela me excluiu depois de eu pedir para ela dar um recado para ele. Para ele ir em casa olhar minha mãe que havia caído e ela mandou que eu pegasse meu carro, aqui em Belém e fosse até lá. Que o Maurício tinha mais o que fazer. 
Eu disse que ela era uma pessoa ruim e por isso ela me bloqueou e ainda foi inventar mentira para ele - que era por causa das namoradas dele]









A perversidade e a mentira caminham sempre juntas.





Mas[...]
[...] assim mesmo.
Eu tenho os registros do que eu estou falando.





ELA comigo.
Através do Facebook. 
Dizendo que ele tinha tido isso e aquilo sobre a menina.
Quando de fato, nós [eu e ele] já tínhamos conversado sobre a decisão dele.
Ele decidiu separar mesmo da Marcilene. 
Eu fui a primeira pessoa com quem ele falou.
E eu guardei tudo, certamente.
Isso que ela disse a você, que ele me mandou emails sobre a Marcilene e etc tal - é mais uma mentira.
Eu provo.











Mas eu entendo você.
Ela é mentirosa e manipuladora.
Tentando dizer que o Maurício não tentava se separar, já que não estava mais com a "Marcinha" como ele a chamava.
Ele queria separar, porque não aguentava mais viver o INFERNO QUE VIVIA.
Inclusive, porque depois de saber das intenções dele, em ficar com a menina e deixá-la, o que andou choramingando com gente de nossa família, a vida dele ficou muito PIOR DO QUE ERA.











Faz assim anônimo (a), pede para ela mostrar esses tais emails?








Eu abro meus emails para a justiça.
Manda ela abrir os dela.










Para registro.
Quando a Maria José Pinto "descobriu! o caso de Maurício com Marcilene.
Não foi uma descoberta exatamente.
Todos sabiam.
Ele estavam combinando ir viver juntos  e ele me pediu para procurar uma Lotérica para comprar.
Pediu a mim e para ela.











Mas tudo estava demorando muito e ela foi buscar ele na marra.
Imatura, chegou lá encontrou outra moça que tinha/teve um teretetê com ele e fez maior confusão.







Eles bringaram dentro da casa dele promovendo um verdadeiro escândalo- diante do qual, a mulher que se importava mais com a posição social do que com qualquer outra coisa, começou uma guerra não para salvar o casamento, mas PARA NÃO PASSAR MAIS VERGONHA E MANTER AS APARÊNCIAS.









ENTÃO PARA PROTEGER O PATRIMÔNIO E AS APARÊNCIAS,  PROMOVEU VERDADEIRA GUERRA PSICOLÓGICA COM DIREITO A MUITAS AMEAÇAS E USOU DELIBERADAMENTE O FILHO, com os argumentos clássicos de que era preciso pensar na família e etc tal.



Apelou para os princípios da moralidade, da fidelidade e etc.
Levou o filho para Mocajuba para ajudar nessa guerra psicológica.
Para manter o amor? A família?
Não.
Para não perder.
Típico da arrogância que lhe é peculiar.
E para não arriscar o patrimônio.













Fazia o filho, inclusive dormir junto com o pai e buscar memórias de infância.
Meu irmão caiu na VERDADEIRA GUERRA PSICOLÓGICA QUE ELA E O FILHO PROMOVERAM.
E, pela família, deixou a namorada de seis anos.
A mim, ele pediu que a ajudasse a seguir a vida dela.
Sim.
Como fiz.
Até que ela seguiu em frente e encontrou um novo amor.











Contudo, vivia UM INFERNO.
Consultem os funcionários dele.
Muitos procuraram nossa família para relatar o que não podiam falar antes.









Para visitar meus pais e ia escoltado.
Era PROIBIDO DE IR SOZINHO.
Ela ia junto, para FAZER CENA PARA A SOCIEDADE, DEPOIS QUE EU "COBREI SEVERAMENTE DELE, O AFASTAMENTO" DOS PAIS E COLOQUEI AQUI NO BLOG.
AAAAAAAAAAAAAAAAAIIIII !!
PARA MANTER AS APARÊNCIAS PARA A SOCIEDADE ELA PASSOU A IR TODAS AS SEMANAS NA MINHA CASA JUNTO COM ELE, E ELE FOI PROIBIDO DE IR SOZINHO.













Então, eis que uma dia em meio a guerra de MORALIDADE, o filho, mesmo tendo uma namorada, e não tendo emprego, ENGRAVIDOU UMA MOÇA LINDA que teve a má sorte de cruzar seu caminho.








Maurício Américo ficou muito feliz pelo neto.
Mas  a partir desse momento, nem a mulher nem o filho tinham mais argumentos contra ele.
Moralidade? Fidelidade?
E ele tinha aberto mão da namorada...
Ficou furioso e danou-se a namorar na cidade, no Areião, em Cametá...









Ele disse: Mas-olhe-lá. Eu vivendo esse inferno pela família e agora tenho que criar neto?










Não tinha pessoa que tivesse ficado mais feliz pela geração da criança.
Foi a luz que ele precisava para vivir a vida dele.
Como ele dizia.
Bem, o menino nasceu.
Ele foi avisar minha mãe da separação, finalmente.
E o resto vocês já sabem.










Quanto a substâncias ilícitas, que supostamente o filho estava envolvido,  parece-me que não era segredo para mais ninguém na cidade e uma de suas maiores decepções.
E a polícia também levantou muitos elementos sobre isso.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Comunicado

Meus lindos e lindas...



Não estou recebendo nada de ninguém, nem para publicar e muito menos para não publicar nada.




Nunca pensem isso, visto que nunca lhes dei motivo para isso.




O site não cobra nem propaganda.




Não tenho mesmo tido tempo de apurar todas as notícias por conta de compromissos acadêmicos. Especialmente aqueles de cunho policial que vocês tanto cobram: briga do dublê de ameba, Denivaldo Farias,  com com irmão do vereador Jorge do Janito (?); agressão grave ao filho do outro vereador; estouro de bocas de fumo na cidade;  prisão do agente prisional em Mocajuba, suposta tentativa de corrupção de um vereador (da atual situação) sobre o outro (da antiga situação)






Vamos fazer assim: mandem via comentários as notícias, mas não enfeitem muito, visto que as vezes acho que vocês exageram demaaaaaaaais e entortam as coisas.
Vocês sabem....



Mandem também os contatos para que eu possa checar as informações.




Afinal, a muito tempo que esse blog não é mais só meu, é nosso.
O que não posso é fazer algo sem checar as informações e depois ter que corrigir, pedir desculpas, e até responder processo.
Né?






Bom Dia!!! Noite de Sexta-Feira em Belém

Carmen Américo e Virgilio Neto
Amizade e parceria.


Caso Maurício Américo: Você já sabia que, no momento em que ele passou mal pelo envenenamento, estava sozinho com a mulher Maria José Pinto? Sim. E ainda, que ela tinha trancado a cozinha a chaves, e depois ficou certo tempo sem abri-la sob o pretexto de não saber onde estava a chave?

Isso.
Ela relatou a polícia em Belém (PA), e inicialmente, não pensamos em nada de mais.

Maria Jose Pinto, a mulher altamente possessiva e muito avarenta, que estava trancada na
 cozinha de casa comendo com o marido, meu irmão, no momento em que ele passou mal.
Além de trancada, a chave estava perdida, só abrindo certo tempo depois que ele sentiu-se mal.

Acusada pela polícia de Mocajuba e denunciada pelo Ministério Público





Segundo ela, na sequência de fatos  até a chegada da enfermeira Lindacy, (já que só ela pode relatar o período em que os dois estavam sozinhos e trancados na cozinha) tem um período em que eles almoçam sozinhos e quando ele começa a passar mal, os dois estão sozinhos e  trancados ATÉ QUE ELA ENCONTRA A FATÍDICA CHAVE. 







AFINAL QUANTO TEMPO MEU IRMÃO FICOU SENTINDO OS EFEITOS DO ENVENENAMENTO E TRANCADO SEM QUE NINGUÉM PRESENCIASSE?







A empregada doméstica não só saiu  cozinha. Saiu também da casa ficando na área externa, enquanto os demais empregados estavam em outras dependências, sem acesso aos dois.












Porque alguém se trancaria para comer na própria casa e perderia a chave?










Sequência dos fatos:
A empregada serviu a mesa.
Ele e ela sentaram para almoçar.
Eles não estavam se falando, e não conversando.
Nem ao menos a televisão que fica de frente para a mesa, ele ligou.
Estavam calados.
Um clima estranho mantinha-se no ar.
[Segundo informou a empregada].









Ela, Maria José Pinto, não informou esse clima tenso entre os dois - disse apenas que eles estavam calados.
[Lembrem-se, no dia anterior ele foi a nossa casa dizer a nossa mãe, que o neto tinha nascido, e que era só isso que ele estava esperando para separar de fato e direito]










Percebendo o clima estranho, e parar permitir que conversassem, a empregada saiu da cozinha deixando os dois sozinhos.






[Há um hiato sobre a chave e sobre o trancamento]





Mas a própria Maria José Pinto, informa em uma estória bem contadinha que, quando ele passou mal a porta estava trancada e ela não encontrava a chave para destrancar.








Imaginem a situação.
Meu irmão passou mal, trancado, sozinho com essa mulher.
Depois de algum tempo, ela finalmente conseguiu abrir a porta.









Um dos funcionários, foi ajudá-lo.
O acudiu.
Ajudou a tirar o sapato enquanto repetia que sentia-se muito mal e com fortes dores no peito.









Porque Maria José Pinto permaneceu  ficou fria e observando.
Quem o acudiu foi o funcionário até que ele caiu e ela pediu para chamar a enfermeira.
E o funcionário saiu atrás da enfermeira que mora imediatamente a frente da casa dele em Mocajuba (PA).







Depois que outras pessoas chegaram...
Ha!! Ai, ela mudou totalmente, escabelando-se, gritando e etc tal.







Lembrem que no velório ao invés de chorar ela gritava e batia o pé?








Vocês viram a mãe dele gritando e fazendo cena?
Contudo, ela chora todos os dias até hoje.








Mas vocês viram a mãe dele indo até a sepultura enterrá-lo.
A mãe dele, mesmo muito idosa e muito doente, foi até a sepultura e cantou, como prima a tradição católica, seu enterro. Sozinha em sol escaldante, enquanto apoiávamos-na para manter-se em pé, dada sua fragilidade física.











E Maria José Pinto, estava onde neste momento?
Fazendo mais uma cena de viúva desesperada na porta do cemitério, voltou de lá.
















domingo, 13 de abril de 2014

Lúcia Topolanski, companheira de Mujica (Presidente Paraguai). Uma inspiração para a luta mocajubense, para a melhor inserção das mocajubanas na Política - Depois de mais de um Século de Governos Ruins e da Dificuldade e Construção de Um Projeto Político Que realmente melhore as condições de vida e futuro na cidade.

Jose Pepe Mujica e a esposa Lucia Topolansky (Foto: Reprodução)

Ela será candidata a vice-presidente da república, não pela quase regra machista que mulher serve para vice - mas para uma escolha coerente.





Vejam a entrevista dela no site aqui, quando também fala de outras coisas que achei bem significativo e com as quais me identifico - sobre a política, sobre amores e a vida.







Destaco o que ela fala sobre "bagagens pesadas" e sobre a capacidade de manter o sonho vivo. 
Quando  saí de Mocajuba para estudar, com 17 anos, era como a maioria dos jovens que chegam TODOS OS DIAS em Belém do Pará, e rumam para outros lugares do país em busca de novas possibilidades. 
Jovens que são invisíveis para nossa pseudo elite.






Lembrete: O TODO DIA, NÃO É EUFEMISMO. A cidade de Mocajuba (PA) continua a expulsar sua gente, enquanto uns poucos tomam conta da cidade e fazem uma política essencialmente patrimonialista e voltada a própria manutenção do poder.




Hoje, "cidade" me visita todos os dias para saber o que ando pensando para ele, ou por ela, e assumindo a fala daqueles que pelas dificuldades de uma cidade pequena se calam.





Amanhã, mudaremos os rumos da coisas, porque quando a ideologia é verdadeiramente maior que a gente - ela se faz real.









quinta-feira, 10 de abril de 2014

Caso Maurício Américo: e se fosse seu filho, seu pai, seu irmão?

Não há nenhuma pessoa em Mocajuba (PA) que ateste que Maurício Américo tinha perfil suicida ou que tenha demonstrado sinais que indicassem esse perfil ás proximidades de passar mal e depois vir a falecer por envenenamento.









Gostaria de lembrar a todos que, mesmo sabendo que Maria José renegava as filhas e a família do marido, que era uma pessoa altamente desagregadora e possessiva...






E nunca se posicionaram a respeito.








[...]  que mesmo que ele tenha morrido, ainda há tempo para redenção.
Posicionem-se.
Digam a ela que a única forma de redenção é falar a verdade.
Toda a verdade.










Também gostaria de lembrar e agradecer a Polícia de Mocajuba e a Promotoria de Mocajuba (PA) que fizeram o trabalho delas, de forma séria, detalhada e o resultado foi encaminhado ao juiz. 










A todos,
Indaguem-se: que tipo de possessão é essa que faz uma pessoa ser casada por  20 anos e mesmo assim nunca ter chamado o pai e a mãe do marido para qualquer evento dentro de sua residência. 
Um almoço? 
Um café? 










Aproveitem e passem na minha casa e confortem meu pai e minha mãe pela perda do filho e perguntem o que eles sentiam quanto a rejeição dela.




Indaguem-se: E se fosse meu filho ou filha?









Aos que não imaginavam o que ele vivia naquela casa, e   muito menos que, meu irmão mesmo casado, mantinha outra relação de mais de seis anos com casa montada, custeio de faculdade e planos de futuro, até que a Maria José Pinto descobriu e fez uma verdadeira guerra psicológica e chantagens diversas para fazê-lo fastar-se da mulher que ele amava. Pois lhe digo, o que vocês viam era apenas uma imagem, uma ilusão.









A todos vocês:  chegou a hora da justiça honrar o papel que meu irmão teve na história de Mocajuba (PA). 







Lembrem-se que o delegado de polícia de Mocajuba não encaminhou imediatamente seu inquérito sobre a morte de meu irmão - como poderia qualquer um fazê-lo. Ele investigou meses até encaminhar a promotoria.










O trabalho foi concluído, chegou o momento de todos honrarem o nome de meu irmão e se perguntarem: Porque afinal Maria José Pinto nunca quis uma investigação? 
Afinal, o marido dela morreu, sem dar nenhuma pista de que tenha se matado.
Ela não deveria querer saber, afinal o que ocorreu com ele?
Se ela não tem nada a ver com isso, não poderia ser um inimigo, uma amante inconformada... ?
Qual era afinal seu medo?








Se fosse seu marido e sua mulher, e morresse misteriosamente, ao invés de acusá-lo, SEM NENHUMA COMPROVAÇÃO DA PRÓPRIA MORTE, VOCÊ NÃO IRIA QUERER SABER AFINAL SE ALGUÉM NÃO TINHA TIRADO A VIDA DELE OU DELA? PORQUE ELA ESQUECEU O CAMINHO DA DELEGACIA? 








Mas não. Ela não só não procurou a polícia, o que já causou estranheza, como também falou COM TODAS AS LETRAS QUE NÃO ERA PARA NINGUÉM FAZÊ-LO. 
O QUE SIGNIFICAVA ISSO? 
MEDO? 
TENTATIVA DE GANHAR TEMPO?









Porque? 
Eu poderia ter dito antes que o delegado tinha terminado o inquérito, suas conclusões. 
Eu poderia ter dito antes que a promotoria aceitou os argumentos do delegado.
Não poderia.








Imaginem se fosse o irmão, pai ou filho de vocês.







Contudo, enquanto a gente espera que a justiça termine o processo, essa mulher MARIA JOSÉ PINTO, supostamente divulga que ATÉ CARTA MEU IRMÃO TERIA DEIXADO.
Se essa mulher falar a um de vocês sobre tal carta, indaguem-se: PORQUE ELA NÃO LEVOU ISSO A POLÍCIA? 







Outra questão que ela divulga é que meu irmão respondia a processos.
Ora bolas.
Maurício respondeu vários processos em vida.
E saiu vitorioso.
De cabeça erguida.










Um ano antes de sua morte FOI DEMITINDO POR JUSTA CAUSA DO EMPREGO que era a vida dele. Qual o motivo: ABRIR manter um negócio que concorria com os Correios.







Mesmo esse, que foi o maior golpe que enfrentou. Ele  enfrentou de cabeça erguida.







Responder processo não significa ser culpado.
Responder processo é a forma que a sociedade tem para resolver seus problemas.
E ele era uma cara inteligente, instruído.
A quem convém espalhar que ele respondia processos?
Ora bolas.
Imaginem se todo mundo que responde a processos em Mocajuba resolvesse se matar!!!
Primeiro Maria José Pinto inventou a todos uma ENORME DÍVIDA. 
Inclusive a família de Maurício Américo caiu nessa ESPARRELA.







QUANDO FOMOS INVESTIGAR TANTO O NOME DELE QUANTO DAS EMPRESAS DELE ESTAVA L-I-M-P-O.
NADA CONSTAVA.








A suposta dívida serviu para ela arrancar dinheiro de membros de nossa família.
Acreditem que até a uma das FILHAS DE MAURÍCIO, UMA MENINA QUE PASSOU A VIDA INTEIRA RENEGADA E QUE CONVIVIA COM MAURÍCIO ESCONDIDA POR CAUSA DA POSSESSÃO E DA AVAREZA DA MULHER - ELA PEDIU DINHEIRO.








Na realidade Maurício contraiu um débito misterioso na Caixa Econômica, algo até hoje pouco explicado - e ela tentou "repor o dinheiro" que ela não sabia o que Maurício tinha feito - pedindo as filhas renegadas e afastadas dele por ela para emprestar dinheiro e cobrir o débito.Não era uma dívida, era um débito corriqueiro (ou não, ele pode ter feito realmente um caixa dois para si mesmo, para viver a vida dele) e não respondia nem a 10% de seu patrimônio que representa mais de 1.200.000 reais.






Coloquem-se no lugar das filhas dele.
Imaginem, a mulher passa vinte anos renegando você.
Você precisa relacionar-se escondido com o próprio pai - ele morre e a DITA MULHER TEM A CORAAAAAAGEM DE TE PEDIR PARA EMPRESTAR DINHEIRO? 
Na verdade ela sentiu-se roubada por ele, por conta do dinheiro que nunca soube onde foi parar e resolveu cobrar das filhas dele, para depois descontar da divisão do patrimônio.







E isso é só um elemento.
Eu, em nome  minha família tenho a obrigação de esclarecer a toda a cidade a verdade dos fatos.
E dar elementos a cidade que boquiaberta, pede justiça.



"Veja bem, meu amigo, a consciência é um orgão vital e não um acessório, como as amígdalas e as adenóides."(Martin Amis)

BIOJÓIAS

Leitores do Amazônidas por ai...


localizar