segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

As homenagens da família e das autoridades locais a Nário Guimarães






O falecimento do ex-prefeito de Nário Guimarães foi marcado por muitas homenagens da família e de autoridades locais, tanto no velório e enterro quanto nas redes sociais. Segue uma seleção provisória delas.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Falece Hidelbrando Sabbá Guimarães, conhecido como Nário Guimarães, ex-prefeito e homem público que mais tempo permaneceu no poder em Mocajuba


Hildebrando Sabbá Guimarães
1926-2015
Foto: Arquivo familiar cedido

Após 12 dias internado em hospital na capital, faleceu ontem Hildebrando Sabá Guimarães, ex-prefeito de Mocajuba (PA). Cardiopata, foi  vitimado por falência múltipla dos órgãos. Conhecido como Nário Guimarães, foi o homem que mais tempo permaneceu no poder em Mocajuba (PA) e a liderou a cidade na instalação de servições e equipamentos de modernização urbana.

Nário Guimarães e a Esposa
Foto: Arquivo familiar cedido


Hidelbrando Sabbá Guimarães, era filho de Raimunda Guimarães e Raimundo Guimarães, nasceu
 em 28 de Agosto de 1926 na localidade de Tauaré, Rio Maxi - a zona de origem do município de
 Mocajuba.  


Casou com Adair Vieira Guimarães em 1951 e teve nove filhos: Nairson, Nelma, Nilda, Nilson, Nilzete, Nilce, Nailce, Nixon e Júnior. Terminou sua trajetória terrena no dia em que faria 64 anos de casado - um  vida de amor e companheirismo ao lado de dona Adair.




Foi um agricultor, agroextrativista, comerciante, e o homem público de maior tempo de permanência no poder.  Portanto, garantiu lugar destacado na história de Mocajuba com um longo período de atuação como vereador, prefeito e vice-prefeito e novamente prefeito. Clichês à parte, a trajetória de Nário Guimarães literalmente confunde-se com a História de Mocajuba, em grande medida.




Começou sua trajetória de homem público quando conquistou uma das vagas da Câmara Municipal em 1960, legislando até 1964 - ou seja  nos tempos de transição do governo brasileiro para a Ditadura Militar, permanecendo 18 anos ligado diretamente à gestão do município. 


Nário Guimarães
recorte de periódico - sem identificação


Após o término da legislatura, tornou-se prefeito governando de 1964 a 1970 - diferente dos dias atuais eram seis anos. Membro do partido da situação, a Arena - compunha com o governador Tenente Coronel Jarbas Passarinho (1964-1966).



Terminado o mandato ocupou o cargo de vice-prefeito entre 1970-1976, ao lado de João Costa, falecido recentemente e pai do atual alcaide municipal Rosiel Costa.  



Em nível nacional,  vivia-se o contexto da Ditadura Militar e estávamos sob o Ato Institucional número 5 - o conjunto de leis mais severas do período ditatorial.






O AI-5, como ficou conhecido,  que deu plenos poderes ao governo dos militares.  Uma época em que os partidos políticos foram extintos e o bipartidarismo foi adotado no País com a criação da Arena, que agregava partidos do governo, e o MDB, que aglutinava as "oposições". Mas em 1972, foram restabelecidas as eleições diretas para senador e prefeito, à exceção das capitais.




É neste cenário que Nário assumiu a prefeitura novamente entre 1976 e governou até 1982 trabalhando com vários governadores paraenses: Fernando José Leão Guilhon (ARENA), Aluísio da Costa Chaves (ARENA), Clóvis Silva de Morais Rego (ARENA) e Alacid da Silva Nunes (PDS). Importante lembrar que a ARENA transforma-se em PSD com o enfraquecimento do regime.



Essa fase da História mocajubense é caracterizada pelo consolidação da cultura da pimenta do reino no município que  reorientará homens, mulheres, capitais, saberes e técnicas na cidade. Neste período, a economia da cidade será reorientada à sua fase de maior crescimento. Os empréstimos a cultura aprovados pelo ITERPA em 1977 consolidaram uma fase de muito dinamismo. O rendimentos gerados pela pimenta-do-reino atraíram agentes privados à atividade e fortaleceram a capacidade institucional com forte articulação às estruturas do Estado que leva a multiplicação de incentivos creditícios - dentre os beneficiários estão o agricultor Nário Guimarães, e também Caetano Santos, Wilde Colares e muitos outros. Estavam plenamente estruturados os elementos que levarão a expansão da agricultura na terra-firme que altera os rumos da cidade.




Dentre suas realizações está o primeiro sistema de fornecimento de energia baseado nas termo-elétricas com horário fixo de funcionamento: até 22 horas, depois até 24 horas (meia-noite). Funcionava onde hoje está instalado o Banco do Brasil.



Também foi responsável pela instalação do sistema de telefonia tendo como base o atual prédio da Secretaria de Segurança Municipal ao lado da Prefeitura.  Também levou os sistemas de televisão com antenas instalados na Praça Matriz de Nossa Senhora da Conceição, ao lado Igreja.



A rede de fornecimento de água encanada, localizada no Bairro da Pedreira, à margem do Rio Tocantins, que no ato de instalação configurava-se como um sistema moderno e muito eficaz para o tamanho da cidade.



A pavimentação das ruas que era registrada apenas na Rua Alexandre de Castro,  foi expandida para outras ruas do centro.



Rua de Mocajuba antes da Pavimentação
Foto: FlogãoMocajuba


Também existem realizações na educação com a organização das séries do antigo segundo grau e instalação de escolas nas comunidades.



O corpo de Nário Guimarães foi levado para Mocajuba para ser velado na Câmara Municipal e o 


enterro será realizado amanhã (26/01/2015) pela manhã.




Post com informações fornecidos por Hilbrando Saba Guimarães Júnior.
Aguardamos contribuições dos leitores .

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Mocajuba

Foto: Many-Thany Ferreira
reprodução facebook

A Rua 15 de Novembro depois da chuva
Nossos correspondentes locais (só-bubagi) informam que,  depois da chuva da manhã, o frio de Janeiro traz uma ar de esperança a Pérola do Tocantins.  
Essa foto é pura poesia.





segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Ocupação da Prefeitura de Mocajuba repercute na imprensa da capital


Sob o título: "Professores protestam contra salários atrasados", consta no Diário On line o seguinte texto:

"Cerca de 50 professores da rede municipal de ensino de Mocajuba, no nordeste paraense, estão protestando contra a falta de pagamentos. Os manifestantes ocuparam a sede da prefeitura do município na manhã desta segunda-feira (12).
Segundo informações de Ronaldo Rocha, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), os salários dos professores e servidores estão atrasados. “Os professores e outros servidores estão ocupando a prefeitura, para terem uma resposta sobre o pagamento. Já tínhamos tentado negociar com o prefeito, mas ele não quis receber o Sintepp. Então os professores resolveram ocupar o local, para cobrar providências”, diz. O salário dos efetivos estaria atrasado há um mês, já o dos temporários há três meses. O Sintepp afirma que a categoria só desocupará o local após serem recebidos pelo prefeito.
DOL tenta contato com a prefeitura de Mocajuba


Cursinho Popular de Mocajuba: Educação e Compromisso Social em Alta.

Alunos e alunas atendidas pelo cursinho popular





Nestes tempos de individualismo exacerbado e apego ao dinheiro e ao poder, existe sempre um vento de esperança soprando levemente e aquecendo nossos corações. Em Mocajuba (PA) dentre outras iniciativas, há uma que é pouco conhecida e que também precisa de apoio da sociedade e das instituições.

Atividades do Projeto


O cursinho popular uma iniciativa de jovens professores e professoras, que aqui têm como porta voz o professor Kleber Miranda, professor de inglês. As atividades funcionam na escola Almirante Barroso, mas também conta com as escolas Regina Costa e Isaura Baia.



Entrevistamos, via web, o professor Kleber que nos contou o que segue abaixo.


 
Professor Kleber (de Camisa Preta) com os alunos e alunas
“O Cursinho Popular é um Projeto Social, sem fins lucrativos. Nele trabalhamos oficinas como: primeiros Socorros, empreendedorismo, inglês instrumental. Nas quais são voltadas para o público em geral, em relação ao ensino médio.

Temos um trabalho específico, com disciplinas que auxiliam os educandos nos processos seletivos de vestibulares, com foco no ENEM, PRISE e PROSEL.


O Projeto não cobra nada dos alunos, as aulas são gratuitas. Temos uma parceria com as Universidades (UFPA e UEPA), que nos auxilia com os professores que são estudantes Universitários. Assim além de ajudar os educandos do ensino médio, também damos uma experiência prática aos Universitários voluntários, que ao final recebem um reconhecimento das instituições de ensino superior pelo trabalho realizado.


Alunos e Alunas Atendidos 


Além disso temos um projeto chamado ESTUDANTE e EDUCADOR NOTA 10, que premia estudantes de TODAS as escolas que mais se destacam nas aulas. Isso ajuda a motivar os alunos a estudarem mais e mais... 


Atividades do Projeto - Premiação

















O objetivo do trabalho é apenas contribuir.. Assim sempre passamos os créditos das aprovações nos vestibulares para as escolas nas quais os estudantes fazem parte. Também agradecemos os professores que aqui estão, pois eles dão uma imensa ajuda.

Ás vezes não temos espaço fixo, uma vez fizemos uma aula campal. Mas isso felizmente não prejudicou o nosso trabalho.. Chegamos a solicitar uma ajuda da prefeitura para o transporte de nossos professores, pois a maioria deles mora na cidade de Cametá, mas eles não concederam o auxílio, assim tivemos que conversar com o Senhor IVAN do Barco Céu de Brasil, que gentilmente nos ofereceu o transporte sem ganhar nada em troca.



 
Uma das atividades do Projeto. 
 

Também realizam uma premiação  " Primeiro Lugar no Simulado" . Inclusive as estudantes da foto foram aprovadas no Vestibular (UEPA), ambas passaram em Enfermagem. A estudante da esquerda, Yasmin Silva, passou em 1º. LUGAR. A Sandy Coelho é a da Direita.




Atividade do Projeto
Visita a Universidade (UFPA)
 
Atividade do Projeto
Visita a Universidade (UFPA)


  O professor segue explicando que:

"É um trabalho cansativo.  A única recompensa que temos é a alegria nos olhos de cada estudante. Mas não criticamos os governantes. Pelo contrário, esperamos que os mesmos possam contribuir mais e mais com a qualidade da educação no nosso Município. Pois se formamos um médio em nossa cidade. Futuramente ele irá contribuir no mesmo local. .



Esperamos que neste ano possamos auxiliar ainda mais os estudantes não precisam fazer seleção para  entrar as portas do Cursinho São abertas a TODOS." Independente de Raça, classe social, religião... Entre outros."





O blog apoia todas as iniciativas que visem a construção de uma sociedade civil mais forte e que tragam benefícios verdadeiros e que possam ser continuados, a despeito dos interesses imediatos.

Vida longa ao Cursinho Popular.


Aos interessados em ajudar, os contatos estão abaixo.
klebycosta@yahoo.com.br 
TELEFONE: 04191- 98321- 4885


Mocajubanos e Mocajubanas cruzam a fronteira do nível superior e espelham trabalho dos professores e professoras de Mocajuba





CALOURO BIOLOGIA UEPA (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ)


CALOURA ENFERMAGEM UEPA (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ)
 APROVADA EM 2º LUGAR NA UEPA


O parabéns do blog.
Aos calouros e aos educadores.

Professores e Professoras da Rede Pública Ocupam a Prefeitura de Mocajuba exigindo pagamento de Salários

Tomada da Prefeitura de Mocajbuba
Foto: Gisele Lopes



Foto: Claudinho Sousa



Foto: Haroldo Almeida
Foto: Claudinho Sousa



Foto: Claudinho Sousa



Foto: Claudinho Sousa



Os professores e professoras da rede municipal de ensino ocuparam nesta manhã o prédio da prefeitura municipal de Mocajuba, exigindo pagamentos de salários e melhores condições de trabalho. A imprensa da capital já encontra-se no local e o debate da condução da coisa pública na cidade amplia-se. O movimento grevista é coordenado pelo SINTEP-SubSedeMocajuba.


Visual abaixo é da Edvane Barros.















domingo, 11 de janeiro de 2015

E o Prefeito voltou a falar desta pequena bloguer no Rádio Cidade

Mas eu não estou dizendo...
Eu poderia tentar procurar aqui um motivo para essa pessoa ocupar-se de mim.
Mas é simples: ele é Rosiel Costa e eu Carmen Américo.

Sem mais...

O embate continua entre prefeito municipal e sindicato dos trabalhadores

reprodução 

O blog recebeu a informação que, curiosamente, trabalhadores e trabalhadoras da  educação em Mocajuba, foram convocados para fazerem um recadastramento.

Em seguida membros da coordenação do Sindicato deram um alerta pelas redes sociais avisando que em se tratando de recadastramento dos associados do Sintepp - a prerrogativa é sua, exclusivamente.

Fontes do blog atestam que através da Rádio Cidade, no Programa Bom Dia Prefeito, dedicado a enaltecê-lo, informou era necessária a atualização cadastral por conta de questões relacionadas ao recebimento de salários. O Sintepp-SubSede Mocajuba mobilizou os advogados para análise da situação.

Aguardemos. 


Mocajuba: Mais um capítulo do conflito entre professores da rede pública de ensino mocajubense e a prefeitura municipal





Na sexta-feira, mas um episódio histórico da luta do Sindicato dos Trabalhadores da Educação  e a prefeitura local, hoje sob a liderança de Rosiel Costa (PR).








Como este não é um portal de notícias e sim um espaço de opinião, que por vezes noticia, esperei um pouco falar com vocês sobre o tema. Aos comentadores anônimos - não, não esqueci. Mas... vamos aos fatos. 








Na sexta-feira, em ato organizado durante a semana pelo Sindicato dos Professores juntos milhares de pessoas na Praça Matriz de Mocajuba (PA). A proposta foi a realização de um Festival: O primeiro Festival da Educação em Mocajuba, contando com a realização de um bingo com vários prêmios e música. 








Não estavam lá apenas professores e professoras, mas também apoiadores diversos, além de contar com o apoio de uma boa faixa de comerciantes.  





O evento ocorreu sem intercorrências negativas e conseguiu seu principal objetivo: manter uma movimento grevista ativo e com forte interlocução com a população - afinal: mais uma vez milhares de pessoas puderam ouvir os professores e professoras e suas razões. A meu ver: esse é o maior ganho.








Um atividade de coroamento de um longo processo diário de caminhadas nos bairros da cidade durante a semana. A pé, instrumentalizados com carro-som, panfletos, sombrinhas e muitos sorrisos eles estiveram nos bairros, explicando os motivos da greve.  Que conforme informado pelas coordenação do Sintepp, ao blog: deve-se ao atraso, anunciado do salário de novembro. Mas não só. A professora Cácia Américo, explicou que também se deve as péssimas condições de trabalho, à qualidade da merenda escolar e a não regularidade no fornecimento de material às escolas. 





Mocajuba, seus prefeitos, e o trato com a Educação!


Hoje, o embate é entre o prefeito Rosiel Costa (PR), que muito significativamente, foi afastado e re-afastado do cargo juntamente com o ex- presidente da Câmara, Edinilton Braga,  como resultado da Ação Civil Pública de Improbidade Administrativa, em face, das investigações referentes ao Processo Nº 0004847-23.2013.8.14.0067, através das denúncias realizadas pela Promotoria de Justiça de Mocajuba, do MPE. 



Já faz tempo, mas como resultado das ações Rosiel Costa (PR) responde a grave processos de fraudes em licitações e contratos entre o poder público e empresas ligadas desde 2009 - seu primeiro ano de governo. 




É importante traçar esse paralelo.
Sempre.




Diante de um gestor com um perfil que inspira pouca confiança, habituado a tratar publicamente professores como vermes (giárdia) e um histórico de prefeitos que agiram também com desrespeito a classe, o sindicato comportou como um gato escaldado e antecipou-se a uma tragédia anunciada.





Pois  viu-se em um revival. Outros prefeitos de Mocajuba, já usaram do mesmo expediente - não pagar o mês de novembro e pagar apenas o décimo terceiro. Uma conquista não apenas do trabalhador (a)  da educação, mas de todos os trabalhadores no país. 





Qual é o sentido disso?

Mas não seria arriscado ?
Será que ele não pensa?
Esse homem é doido ?
Cochicham alguns ...







Ele pensa.
Não é doido.
A racionalidade dele é essa mesma.





Rosiel Costa (PR) um típico herdeiro da mentalidade do coronelismo que vigorou até 1930 no país, mas ficou marcado na herança mental dos filhos das oligarquias - anunciou que não pagaria, espalhou aos quatro ventos e tratou de encontrar um culpado, seu maior inimigo atualmente e vice-prefeito, José Antônio Castro.








Os professores já escaldados pelo comportamento de Wilde Leite Colares e Amadeu Costa, e por embates diretos com o atual prefeito,  construíram uma forte estratégia para impedir o calote. 






Pois bem.
Quais as reais razões do não pagamento?
Hábito histórico?
Planos de Gastos Outros?
Falta de capacidade de pagamento?
O prefeito alegou na mesa de negociações com o MP, que não tinha recursos porque José Antônio Castro não teria feito o dever de casa, que é provisionar os chamados 1/12  (Um doze avos). Que em termos gerais, é uma espécie de poupança feita durante o ano pelo município para pagar o décimo terceiro dos funcionários.







Até ai, parecia razoável.
Mas ao final, o prefeito não apresentou os documentos da folha de pagamento solicitados pelos professores. E portanto, perdeu a credibilidade ao tentar fornecer documentos incompletos. Parece mesmo ter tentado ludibriar a categoria.







O modo operandis


Em contrapartida, trocou a defesa pelo ataque.
Entrou com ação na Justiça acusando o sindicato de deflagrar uma guerra ilegal.
Ação que o juiz de Mocajuba declarou-se incompetente para julgar, o que deixou a questão em suspenso e deu fôlego a categoria. 






Mesmo mantendo o diálogo através de seus imediatos com nosso vereador temporário Odiekson Martins - parece ter quebrado definitivamente a confiança. Além disso, o embate está recheado de pequenas armadilhas a categoria.
Narro brevemente uma delas.






As véspera do Natal o prefeito chamou o sindicato para conversar em sua luxuosa residência no Bairro da Fazenda. E pressionados por uma guerra judicial, lá foram eles, ás pressas, visto que a falta de diálogo é um dos elementos que podem ser elencados para definição de greve ilegal.
E afinal, qual foi a proposta do prefeito: a mesma.
E e se eles não fossem?
 Em que se desdobraria?
Nunca saberemos, já que a História não é feita de "se's". 









Uma coisa ao menos ele conseguiu: causar constrangimentos internos momentâneos a categoria, que no entanto, se recompôs imediatamente e foi para as ruas.
Para o Mercado.
Para os bairros...









E os ataques, na rádio apelidada de rádio do prefeito e de onde ele costuma despachar - demonstram o revide.




Uma guerra.
De muitas batalhas.


A grande questão é que o nosso alcaide municipal tem perfil mandonista/clientelista. Além de quê, tem cabeça de criança naquela fase do desenvolvimento em que o egocentrismo domina suas ações. Ao ser contestado reage mal. E em estratégia milimetricamente pensada, reage através de jagunços modernos, escolhidos a dedo para cumprir as ordens do chefe. Umas de suas principais ferramentas é a imprensa do pior tipo: talhada para constranger, para difamar para demover de qualquer ação. 






Então vale tudo. Neste vale tudo, o prefeito foi ás vias de fato com o conselheiro Fernando do Santos em episódio que não deve em nada as brigas de meninos. Mas que contudo, esconde uma questão gravíssima na sociedade mocajubense - a completa apropriação da coisa pública, desta vez não por um grupo, mas por um agente, que mantém-se no cargo pela articulação ao políticos estaduais e nacionais e execução com primazia do clientelismo imediatista através do qual mantém um grupo pequeno mas aguerrido de apoiadores aos quais concede fatias finíssimas de poder vazio, e cargos, não raro, sem salários.









Deplorável. Pois o clientelismo clássico refere-se aos favores do Estado para assegurar apoios. Através de vantagens reais: compras, cargos etc. No caso, de Mocajuba (PA) o atrasos constantes de salários dos temporários e as dificuldades administrativas dos cargos de confiança desconstrói a própria essência da lógica viciada do clientelismo.









Se até  clientelismo é falho. O mandonismo não. 
O mandonismo é prática herdada daqueles coronéis até a década de 1930 que tinham poder de vida e morte sobre as pessoas. E se faziam respeitar pelo barulho dos sapatos e pelos murmurinhos de 'lá vem o homem" ( Já gostou dessa parte, não é Rosica?). 







Em Mocajuba (PA) nosso charmoso prefeito, soma um carisma já desgastado, a um perfil vingativo, e agressivo aos seus opositores. Contudo, também agressivo em relação aos seus comandados, distante de qualquer possibilidade de crítica mantém como imediatos exatamente aqueles a quem ele pode comandar. Sem a mínima possibilidade de crítica. Seus aliados históricos da época de campanha referem-se ao governo atual dele como um governo de meninos (e algumas meninas).







Comporta-se como o potentado (Ou tenta ). 
Como se fosse um soberano. 
Como se fosse dotado de um poder absoluto. 
Sua mentalidade produz isso. 
Mas como de fato não é. 
Porque há a outro lado da moeda, o comportamento dele culmina causando  uma grande confusão que não atinge apenas os que ele mira - mas fundamentalmente, a sociedade mocajubense.
O comportamento de Rosiel Costa (PR) não é apenas produto de sua personalidade excêntrica a apegada ao dinheiro e ao poder.
É acima de tudo, produto da História. 
Que é nossa História. E uma característica do sistema político brasileiro - mas que tanto é menor quanto maior é a força dos instrumentos de cidadania.  O Sintepp é um desses instrumentos.









Vejamos que segundo os  professores José Maria e Judity Carvalho ás vésperas do Natal, umaenviado de Rosiel Costa, o nosso vereador temporário, Odiekson Martins esteve na sede do Sintepp, em clara tentativa de intimidação, para lembra-lhes que naquele momento não havia promotor, juiz ou delegado na cidade - que portanto, o prefeito seria o "Xerife" da cidade. 








Xerife, meus caros.
X-e-r-i-f-e (Ha!! Pussiva).









Bem, Rosiel Costa (PR) assim como Wilde Colares, ou Amadeu Braga - para citar apenas os últimos, são o que são porque a sociedade permite. E nesse campo é tudo muito complexo. Mas tem algo que é muito simples - diante do mandonismo e do clientelismo existe a cidadania. E quanto maior é a participação do cidadão na busca de seus direitos,  menores tornam-se estas práticas. Menores. Visto que elas são um vício do descompromisso com o povo. Quer saber se um político pode dar certo repare em quantos membros de sua família, apadrinhados e aliados diretos ele tenta ou tentou colocar no governo em troca de seu silêncio, em troca do seu apoio. Assim faziam os coronéis. Assim fazem os novos políticos orientados pelas mesmas razões: o dinheiro e o poder.








Para enfrentá-los, apenas a organização popular e legítima dá conta.
O Sintepp deu excelente demonstração do papel da cidadania.
Um exemplo de que é possível avançar nas conquistas sociais pela organização popular e solidária.
E ainda mais,
Esse é o caminho de construção de um projeto político popular para Mocajuba (PA) - distanciado dos personalismos que produzem monstrinhos do poder e mais aproximado da organização popular.
Não é tomando benção de fulando ou beltrano que Mocajuba avançará,
Muito menos com a emergência de novos Sasá Mutema, de calça ou de saia.





Foto: Rosilene Nunes


Foto: Rosilene Nunes

Foto: Rosilene Nunes




Foto: Rosilene Nunes

Foto: Rosilene Nunes


Foto: Rosilene Nunes

Foto: Rosilene Nunes
Foto: Rosilene Nunes


Foto: Rosilene Nunes


Foto: Rosilene Nunes

Foto: Rosilene Nunes


Foto: Rosilene Nunes

"Veja bem, meu amigo, a consciência é um orgão vital e não um acessório, como as amígdalas e as adenóides."(Martin Amis)

BIOJÓIAS

Leitores do Amazônidas por ai...


localizar