sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Carnaval Mocajubense

Esta é uma postagem inconclusa...


*
Gente, não há nada mais belo do que as amizades e o conforto que nosso lugar nos traz. Deixem que eu voe um pouquinho por aqui.
reprodução


*
Todos já ouviram falar de uma tal globalização com integração mais rápida dos lugares e possibilidades diversas de acesso a informação e deslocamento.




*
Sim. Já ouviram. Eu sei.





*
Neste contexto frenético, combinado com grande aumento da violência em todos os lugares, os lugares de origem das pessoas tornam-se zonas de conforto e reencontro consigo mesmo. Um fenômeno global de revalorização dos lugares e daquilo que faz sentido.

                                                              Créditos de Imagem: Prefeitura de Mocajuba


*
Assim temos o carnaval como momento de reencontro, de aconchego de ludicidade, de entrelaçamento e fantasia.


Amizade e  ludiciadade no carnaval mocajubense
Depois de Décadas a Cidade Supera a Tragédia que tirou das ruas o Socó e o Mangueirinha: blocos históricos
Créditos de Imagem: Aroldo Oliveira

Imagem : Facebook Cácia Américo

*
Quem não lembra-se de ter ido ao Maia como um balneário comum de águas geladíssimas ? Ele torna-se o centro de dispersão dos blocos de carnaval.


acesso ao Igarapé Maia, ou simplesmente ao Maia

Maia




*
Ele retorna novamente com os blocos de carnaval que de tão grandes já deram origem a novos braços. Assim nasceu o Curupira, resgatando lendas e práticas locais em negócios criativos que estimulam o segmento de entretenimento na cidade.


Concentração do Bloco
Bloco Amazônico
Foto: Cácia Américo


Amizade, Alegria
Foto: Cácia Américo


*

Ele parece originar-se de outro bloco que "brincando, brincando tornou-se uma empresa de entretenimento, o Matinta Perera.


*
Eu já andei por ai um bocado, não tanto quanto gostaria. Mas nada se compara ao meu lugar. Com todas as suas mazelas e seus agentes públicos de pensamento rasteiro e gestão vil.



*
O prefeito pode ser um dos mais questionáveis de todos os tempos da história da cidade no que tange a gestão e transparência de uso de recursos públicos, sim. Maaaaaas como ele vende cerveja, tem interesse em estimular as festas. Mas deixemos aquelezinho bobo para lá. Que ele já tem problema demais com Ministério Público, vamos falar de nós.




*
Nosso tio patinhas abobalhado não se dá conta e nem de longe parece compreender o que é política pública de cultura e lazer. Mas a força da cultura se impõe. Mesmo alijados do circuito oficial, multiplicaram-se pela cidade as iniciativas de formação de Cordões de Mascarados e blocos diversos. 


*
Gente, muitos de nós não tem idéia do que é nosso Carnaval da Águas feito de cordões de mascarados que misturam música, teatro e crítica social. Infelizmente o único que apareceu na avenida para conhecimento do público parecia mais uma peça de marketing de políticos ruins da cidade.   Depois posto o vídeo para que vocês vejam em detalhes.

*
Assim mesmo, trouxeram para a o grande público alguns elementos fundamentais de uma parte de nosso carnaval secular, repassado de pai para filho, de mãe para filha em todas as comunidades de Mocajuba e todo o baixo-tocantins. 

*
Algo assim, meio Veneza, meio Mocajuba. LINDO. Temos pelo menos o Bola Preta, muito antigo, o Folha Verde, do Santo Antônio do Viseu, os linguarudos. Agora são dois. Um linguarudo alinhado a gestão do tio patinhas, aquele-um, e o outro Linguarudo. Parece que a divisão deu-se depois que na Festa da Conceição, o Linguarudo "desceu a lenha na prefeitura e nos alesamentos gerais daquele-um. Mas vou perguntar direitinho ao Dito Maia como foi isso. 


*
Fato é que a cultura popular, a despeito que um ou outro grupo, faz aquela parte ruim da história, parece ganhar fôlego na cidade. E a vida segue mais bonita. Pelo menos neste período do ano.







Postagem inconclusa

Nenhum comentário:

"Veja bem, meu amigo, a consciência é um orgão vital e não um acessório, como as amígdalas e as adenóides."(Martin Amis)

Leitores do Amazônidas por ai...


localizar